Um desafio comum para todo prestador de serviços gerenciados de TI é a realização do controle de licenciamento de software. Afinal, seus clientes podem fazer uso de dezenas de sistemas em várias máquinas.

Isso acaba fazendo com que muitos MSP acabem por deixar de realizar esse controle e ponham em risco seus clientes, pelo uso de software descontinuado ou pirateado, e pela própria possibilidade de ação judicial.

Neste post, vamos mostrar para você qual a importância de investir em um controle de licenciamento de software, os tipos de licenciamento existentes hoje, os riscos de manter softwares sem licença e como funciona a validade nos mais variados casos. Boa leitura!

Por que investir em licenciamento de software

A utilização de sistemas não licenciados, seja por expiração, seja pela aquisição de softwares piratas, prejudicam não apenas a segurança da organização como também o seu desempenho, uma vez que o mesmo dificilmente mantém as atualizações do original licenciado.

Uma aplicação, até ser lançada, passa por sequências de testes, certificações de segurança e outras atividades que visam garantir tanto a sua capacidade de atender às demandas para as quais foi projetada como questões de proteção da informação.

Além disso, temos a questão legal, uma vez que um software é protegido pelos direitos autorais como propriedade intelectual. Fazer uso desse conhecimento sem a devida licença pode gerar processos e o pagamento de elevadas multas.

Quais os tipos de licenciamento

São vários os tipos de licença que existem hoje em termos de software, vamos listar alguns dos principais conceitos por trás deles.

Licença para aquisição perpétua

É um dos mais comuns e tradicionais modelos de licença. Ao realizar a compra do software, você se habilita para o uso perpétuo de uma determinada aplicação. Porém, existem algumas limitações no que diz respeito às atualizações, conforme forem lançadas, e às manutenções.

Licença para uso temporário

Nesse modelo de licença, o usuário tem a permissão de uso da aplicação por um período de tempo. Esse tipo inclui as atualizações realizadas pela empresa desenvolvedora, mas não há manutenção.

Licença para software livre

O software livre é sempre uma opção, principalmente para sistemas mais genéricos e de administração. Existem atualizações constantes da comunidade ou empresa responsável, contudo, todo o processo de manutenção é por conta do usuário e não há suporte.

Licença Open Source

Os programas de código aberto são, em sua maioria, desenvolvidos por comunidades e mantêm uma licença de uso que permite realizar alterações. Pode-se personalizar qualquer elemento dentro do sistema, mas a manutenção também é por conta do usuário.

Licença para SaaS

Software as a Service, ou SaaS, é um modelo de sistemas como serviço e nele o usuário paga um taxa por mês, ou planos de mais tempo e durante isso usufrui das ferramentas, geralmente, hospedadas em nuvem.

Quais os riscos de softwares piratas

Os diversos os riscos de utilizar esse tipo de aplicação, sendo que podemos destacar uma série de problemas aos quais sua empresa estará exposta:

  • riscos legais de processos;
  • baixo rendimento da aplicação;
  • falta de segurança e proteção das informações;
  • instabilidades do sistema a longo prazo;
  • descontinuidade da versão utilizada;
  • perda de arquivos;
  • falta de assistência.

Como funciona a validade das licenças

Como dito, cada um dos modelos de licença de software trabalha de uma forma diferente e tem uma determinada validade. Esse é um dos principais pontos que leva os MSP a controlar essas licenças.

Ao manter um controle eficaz e monitorar constantemente os softwares utilizados pelos seus clientes, você evita que eles venham a correr riscos, além de cumprir com o seu papel de proteger as informações geradas por eles.

Isso pode ser feito fazendo uso de um RMM, software de gerenciamento remoto, que pode auxiliar nessa questão e em vários outros assuntos relacionados com os serviços gerenciados de TI.

Chegamos ao final deste post e esperamos que você tenha compreendido o quão importante é manter um controle de licenciamento de software, evitando assim que seus clientes corram algum tipo de risco desnecessário.

Curta nossa página no Facebook e fique por dentro de nossas novidades!

Luís Montanari
Autor

Especialista em Marketing e Vendas para Empresas de TI e MSPs. Sou pai da Helenna e da Cecília, Comunicólogo, Marketeiro e Vendedor. Além de um profundo apaixonado por tecnologias e boas cervejas. Tenho mais de 10 anos de experiencia em vendas e gestão de pessoas, sendo os últimos 8 dedicados ao mercado de Tecnologia e Serviços de TI. Ao longo dos últimos anos, me especializei no mercado MSP e ajudei dezenas de empresas à redesenharem seus serviços e suas ofertas. Atuo como líder dos times de Marketing, Pré-vendas e Vendas da ADDEE SolarWinds MSP, trabalhando para transformar Empresas de Suporte em verdadeiros MSPs! #SaaS #InsideSales #Inbound #Sales #Marketing #RMM #Backup #Gestão #SPIN #BANT #B2B #MSPsummit #souMSP #TransformacaoDigital

Escreva um comentário

Share This